[ Remember the past ] Dia 1 – Pronto-Socorro

Depois de duas semanas com tosse e de ter acordado a última noite a madrugada inteira, minha mãe pediu que eu fosse ao pronto-socorro ver o que era. Sabe como é, mãe médica e filho doente… “Chega lá falando que você acha que pode ser uma sinusite”.

Peguei meu livro de Marketing, prova na quinta-feira, e fui para o pronto-socorro do Hospital Samaritano. Isso era umas 16h00, não me lembro muito bem. A moça da entrada disse que por causa de umas urgências durante o dia o tempo estimado de espera até o atendimento era de mais ou menos umas duas horas. Esperar duas horas para poder dormir as sete horas normais durante a noite valia a pena.

O pré-atendimento até que foi rápido, o problema foi ser atendido pelo médico. Acho que demorou umas 3 horas até eu entrar. Ele me viu rapidinho e pediu o raio-x dos seios da face e do tórax, o segundo foi só para ter certeza que não tinha nada no pulmão, o primeiro é o que pede normalmente quando se tem sinusite. Fui até o raio-x e um tempo depois meu pai chegou e fui chamado para fazer o exame. Até ai rapidinho, voltei para a sala de espera.

Já tinha passado mais uma hora e pouco, era quase 21h e ainda não tinha voltado para ser atendido depois do raio-x. Perguntei se ia demorar e a enfermeira falou que eu era o próximo, passou mais um tempinho e fui chamado. O médico pegou o raio-x, colocou na luz, olhou… falou que nos seios da face estava tudo certo. Quando ele pegou o raio-x do tórax fez uma cara que quase me matou do coração, olhou, olhou e olhou mais um pouco. Perguntou se fazia esporte e fez mais umas perguntas. Pediu para eu deitar na maca e fez aqueles procedimentos padrões com o maldito estetoscópio gelado. Detalhe: tudo isso sem falar nada da cara de assustado dele. Depois de fazer tudo isso ele mostrou o raio-x para mim e para o meu pai e disse que o motivo dele estar preocupado é que aparentemente meu ventrículo direito estava aumentado, mas que um raio-x não mostra muito bem, pois pode ter sobreposição de imagens. Antes de terminar pediu para que eu fizesse um eletrocardiograma na sala do lado que não demorou nem 5 minutos, tirando o gelzinho gelado e cócegas para colocar e tirar os medidores, nada de mais.

Voltei para falar com o médico, que esqueci de falar que era um cardiologista, e ele disse que o eletrocardiograma estava tudo certo. Pedi para ele ligar para minha mãe (sabe como é, mãe médica se o filho não explica direito entra em pânico). O médico deixou um pedido para fazer um ecodopplercardiograma (um ultra-som do coração) que já marquei para amanhã no Fleury.

Abraços,
Gui Mori

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *