Just a little message while I’m away!

Dear Family,

Família que, além de pai, mãe, avós, irmãos, primos, primas, tios e tias, considero aqui, e sempre, meus amigos, amigas, médicos, médicas, enfermeiros e enfermeiras que cuidaram de mim. Em maio de 2009 fui internado no Hospital Israelita Albert Einstein em São Paulo por uma inicial suspeita de aumento do coração que fora descoberto por pura sorte, mas que pouco depois foi desconfirmada. Motivo da internação: realizar uma biópsia da massa encontrada entre o coração e o pulmão esquerdo.

Após oito dias internado, chegou-se ao diagnóstico final. Com vinte anos, um mês e vinte dias, descobriram que era portador de três linfomas não-hodgkin de grandes células B, crescimento intermediário e terceiro estadiamento, iniciando de imediato o tratamento quimioterápico. Confesso que apesar demonstrar total calma, foram os oito dias mais tensos de uma vida: saber que tinha algo, mas não saber o que era. Peço desculpas para aqueles que dei algumas informações, mas nunca completas durante esses dias.

Algum tempo depois da primeira quimio, meu cabelo começou a cair. Sim, fiquei careca. Mas que família eu tenho. Alguns até rasparam para que eu não ficasse sozinho, mesmo dizendo que não era necessário.

Com repetição a cada 21 dias e exames de sangue semanais, fui levando essas 6 sessões de quimioterapia. Sinceramente, passou rápido. O bem vindo como um mal, fez perceber algumas coisas. Eu tento ser um filho perfeito, um amigo perfeito, um estudante perfeito… enfim, perfeito. Mas percebi que cometi, e ainda cometo, diversos erros. A primeira coisa que posso dizer para minha família é: desculpe se algum dia eu fiz algo de errado para vocês. Mas que família eu tenho. Mesmo errando tanto, nunca me abandonaram.

Já dizia Shakespeare em seu texto “O Menestrel”: “E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher”. De nada serviria viver se não tivesse esse grupo que tenho o prazer de chamar de família. Minha mãe uma vez disse “por você eu limparia o ar até tirar o último vírus”. Mas que família eu tenho. E eu nem me dava conta.

Presentes nos momentos bons e nos momentos ruins, quando eu precisava naqueles dias pós-quimio, com picolés e leite gelado, quando precisava simplesmente ver alguém diferente daquela rotina do hospital. Todos faziam de tudo para me ver bem. Mas que família eu tenho. Não poderia escolher melhor.

Mesmo eles esperando um rosto abatido, um pouco de tristeza ou mesmo um esboço de desanimo, nunca deixer transparecer isso. A vida não é longa e nem curta demais, é grande o suficiente para ser vivida e não tenho tempo para parar por causa disso tudo. Com apoio de todos, fiz mais do que o imaginável. Frequentei a faculdade, fui a uma festa, saí diversas vezes para jantar com essa família. Mas que família eu tenho. Mais atenção que isso impossível.

Seja numa ilha do Caribe, ou de mudança para outro continente totalmente distante, sempre pude contar com ele em todos os momentos. Nunca imaginei que seria capaz de desistir de um sonho para voltar e ficar perto de mim. Não tenho nada a dizer além de Obrigado. Mas que família eu tenho. Desistiriam de sonhos para garantir que eu sonhasse.

Se comparasse a vida com uma cidade, os diferentes  momentos seriam representandos pelos diferentes prédios. Em alguns momentos estariamos nas alturas. Se em algum momento decidir pular, não vai ser por ter certeza que posso voar, mas porque tenho certeza que se não conseguir, minha família estará lá embaixo para me segurar.

Obrigado por serem minha família,
Guilherme Mori

Viajando

Galerinha… estou indo viajar em algumas horas (e sim, ainda estou fechando a mala) ahhahaha

nos vemos ano que vem se não tiver internet por lá!

Caribe, aí vou eu (again) hahaha

Feliz natal para todos! Repleto de presentinhos do bom velhinho! Excelente ano novo! Que 2010 seja melhor que 2009, mas pior que 2011! Assim vamos sempre melhorando!!

Abraços,
Gui Mori

Exame de Sangue Espontâneo

Faltando 2862 dias, 9 horas, 24 minutos, 7 segundos atrás, para ir para o Curaçao passar Natal e Ano Novo, decidimos fazer mais um exame de sangue espontâneo! Como sempre, abaixo segue a tabela dos resultados.

Um tempinho atrás eu fui em uma palestra da Abrale e ganhei uma caricatura minha! Mesmo ninguém achando que parece comigo, tem a mesma cara de “Dããã” hahaha! Não, o nome não está escrito errado!!! hahahahaha

Caricatura

Caricatura

Carro

O carro é um Honda Fit Preto! Seguem umas fotos:

Carro

Carro

Carro

Carro

Carro

Carro

Abraços,
Gui Mori

Uma vez carequinha…

… sempre carequinha! Apesar de não estar mais careca (faz um bom tempinho), eu não vou mudar o nome do blog! Quem sabe daqui um tempo eu coloque um (EX) na imagem do topo, mas não sei ainda!

By the way…

Ultimamente as coisas tem dado realmente certo…

Right? :)

Não tem muito o que contar dessa vez!

Ah, amanhã é a última prova! uhuuul!

E também são as últimas férias!!!!!

Abraços,
Gui Mori