Dicaria

No final do ano passado a Bru veio com uma ideia de lançar um site de Dicas de Produtos, algo na linha do TripAdvisor. O objetivo é reunir em um só lugar avaliações dos mais diferentes produtos do mercado, desde comidas e livros, até carros, sorvetes e bebidas. Dedicando algumas horas por dia, desenvolvemos rapidamente o Dicaria!

DicariaLogo

Estamos, aos poucos, melhorando o site! Convido todos a darem uma olhada, navegar, se cadastrar (é fácil e rápido) e avaliar alguns produtos. Se encontrarem algum problema, ou tiverem alguma sugestão, deixem um comentário aqui que irei verificar o mais rápido possível. Já são mais de 87 MIL PRODUTOS cadastrados, e em breve adicionaremos muito mais.

E para melhorar, estamos sorteando alguns produtos para aqueles que participarem de nossas promoções! Acessem o site e vejam como é fácil, basta se cadastrar, avaliar produtos e você já estará participando!

Abraços,
Gui Mori

Nada como se manter… desatualizado?!

Na linha do último post sobre a Apple e seu navegador (muito) ruim do iPhone, hoje fui acessar um portal do governo brasileiro para emitir um documento: quase tive um treco e caí da cadeira. Enquanto muitos dos programadores se matam para dar suporte às últimas (péssimas) versões do Internet Explorer, encontrei algo que faria qualquer ficar, no mínimo, maluco e precisaria ser internado de imediato.

Versão do Browser

Os navegadores RECOMENDADOS são o Internet Explorer 7.0 e o Firefox 2.0. Vamos começar pelo Firefox que vai dar menos dor de cabeça! Em primeiro lugar, ele já está na versão 35 desde 13 de Janeiro de 2015. Ok, vocês podem dizer que mudou rapidamente e que por isso subiu o número! Então olhem: a versão 2.0 foi lançada em Outubro de 2006! Fico imaginando que raios de computador (e de programadores) o governo brasileiro tem contratado! Provavelmente alguém tão velho quanto os dinossauros e que usa cartão perfurado. Mas olhando pelo lado bom (ou talvez, menos pior), eles dão suporte ao Firefox, não só IE.

Olhando para a versão do IE, também lançada em Outubro de 2006, podemos pensar: temos um portal do governo que não é atualizado desde 2006?! Detalhe para a observação sobre o “modo de compatibilidade”, é rir para não chorar! Vale lembrar que o Google é um bom parâmetro para saber que navegador os programadores deveriam suportar e a regra é bastante simples: N-1, onde N é a última versão oficial. Ou seja, até a penúltima versão deveria ser suportada. Desde Outubro de 2013 eles não suportam nem a versão 9 do IE, já que foi lançado o IE 11 nesse mês.

Mas o que isso tudo significa sem alguns números, certo? Então lá vai: segundo o W3Schools, em Janeiro/2015 o ranking dos navegadores era:

  1. Chrome: 61,9%
  2. Firefox: 23,4%
  3. IE: 7,8%
  4. Safari: 3,8%
  5. Opera: 1,6%
  6. Outros: 1.5%

Já quase ninguém utiliza o IE explorer, se olharmos do total, as pessoas que usam as versões 7 + 8 + 9 são aproximadamente 36% dos usuários de IE (e aqui deixo meus parabéns, pois são ótimos guerreiros e nunca desistem! Provavelmente trabalham no Governo brasileiro hahaha). E tem mais um ponto importante, se eles estão tão “atualizados” assim, não é a toa que praticamente nenhum site do governo funciona no mobile. Em uma época em que resolvemos praticamente toda nossa vida com esses aparelhos, já está mais do que na hora de repensar tudo isso.

Abraços,
Gui Mori

-webkit-transform e a eterna batalha com o iPhone

Desde Dezembro estou ajudando a Bru a desenvolver um novo negócio, o Dicaria, um site de avaliação de produtos. Em breve colocarei mais informações, mas agora vou leventar outros problemas e compartilhar um pouco do sofrimente que tive com o desenvolvimento para mobile, exclusivamente para iPhone utilizando o navegador Safari. Especificamente na parte de CSS e animação, demorei para descobrir porque o site abria em todos os navegadores, exceto no Safari e somente para iPhone (nos iPads funcionavam normalmente).

Como não tenho nenhum aparelho iChatinho, tive que utilizar o BrowserStack para conseguir fazer os teste, junto com o JSFiddle. Depois de vários teste, e algumas boas horas de stress, descobri que o problema está na falta de capacidade do aparelho em processar algumas poucas animações (no caso estava animando o tamanho da fonte + posição + rotação). Fiz pensando em minimizar ao máximo os recursos, usando css que é mais leve, mas também deixando uma boa usabilidade. Mas é incrível como a maçã mordida atrapalha a nossa vida (como se já não bastasse o Internet Explorer).

O que tive que fazer foi trocar meus keyframes que usavam mais ou menos o seguinte padrão:

-webkit-transform: rotate(180deg);
font-size: 0em;
left: 26px;
top: 29px;

para animar apenas a rotação e transparência (o que tira um pouco o tchans da trasnformação, mas pelo menos resolveu o problema).

-webkit-transform: rotate(180deg);
opacity: 0;

Em resumo, evitem muitas animações com keyframes no iPhone, já que ele tem muitas limitações nesse sentido e evitem maiores dores de cabeça como as que eu tive.

Abraços,
Gui Mori