Viajando com economia

Ok ok ok, já sei! Estou devendo posts, e não vou dar desculpas, pois estou mesmo! Mas antes de continuar a saga de posts de dicas de viagens (que pretendo mudar um pouco daqui em diante para ter mais conteúdo relevante), gostaria de compartilhar 3 dicas para economizar na sua próxima viagem. E olha que uma delas é fresquinha do forno!!!

SkyScanner

 

Para quem não conhece, o SkyScanner, na minha opinião, é um Decolar melhorado. Além de encontrar passagens aéreas das principais companhias áreas, eles também vasculham os preços da companhias low-cost, como EasyJet, RianAir entre outras. Isso, muitas vezes, pode resultar em grande economias na compra de passagens, principalmente na Europa e nos EUA, onde os preços são bastante competitivos (e low-cost de verdade).

Só fiquem atentos aos detalhes como se a bagagem está incluída ou não (e façam as contas), escalas etc.

Além disso, o site permite cadastrar alertas para os destinos que você quiser, enviando um email com as alterações dos preços, assim você pode fazer em um melhor momento (ou evitar que as passagens subam demais sem você perceber).

Já o blog Melhores Destinos é ótimo para encontrar aquela promoção relâmpago das companhias aéreas, além de diversas dicas de viagens. Nos últimos meses tiveram diversas promoções, incluindo passagens aéreas para os EUA a partir R$800!!! Vale a pena monitorar, principalmente se você tem flexibilidade de férias, ou se estiver disposto a viajar em datas aleatórias. Constantemente postam promoções.

Uma dica é usar o IF (antigo IFTTT) para receber notificações no celular ou email sempre que tiver uma atualização no blog. Como muita gente acompanha, é uma guerra/correria para conseguir encontrar as passagens com os preços anunciados.

Eu e a Bru costumamos usar MUITO o Booking.com para fazer as reservas dos nossos hotéis (até mesmo em viagens pequenas de um dia). Como planejamos com um pouco de antecedência, vamos monitorando já que os preços costumam variar e as vezes, no mesmo hotel, os preços das diárias caem. É importante fazer uso do Free Cancellation, já que permite você trocar de reserva sem custo algum. Já chegamos a economizar em um único hotel 100 dólares apenas cancelando e refazendo a reserva.

Assim como SkyScanner, o Booking Monitor faz o monitoramento dos preços de hotéis do Booking.com. É bem fácil, é só colocar a URL do hotel que você quer monitorar, selecionar as datas de check-in e check-out, selecionar os quartos que deseja monitorar, inserir o seu email e pronto! Você receberá as atualizações de preços dos quartos selecionados e poderá realizar a reserva com o menor preço.

Em tempos de crise, economia é tudo! Espero que as dicas possam ajudá-los a economizar em suas próximas viagens!

Abraços,
Gui Mori

Stresa – Itália

Aproveitando nosso tempo em Milão, decidimos pegar um trem da Trenitalia e visitar o Lago Maggiore, mais especificamente a pequena cidade de Stresa. A pequena comuna italiana tem 5.000 habitantes e fica 90km distante de Milão. A cidade funcionamente basicamente por conta do turismo. Apesar de o dia não estar muito bonito, dava para ver como a vista era muito bonita e como deve ser gostoso passar um tempo descansando lá (mas só para quem gosta de silencio e – muita – calmaria). A passagem para chegar lá, de primeira classe (chique no último, mas não é tanta coisa assim, é só o nome), foi de €9,00 por pessoa (ida e volta) e leva por volta de 55 minutos saindo da estação central de Milão.

A estação de trem fica 5/10 minutos caminhando da rua principal/margem do lago. Seguimos para lá com um nome de uma agência de turismo, mas, depois de “procurar” acabamos parando na primeira que apareceu. Apesar de pequena, a cidade tem várias agências e hotéis de tudo quanto é preço. Vimos alguns “mais para dentro” que eram mais simples, hostels e até hotéis bem chiques, como Regina Palace Hotel. A agência de turismo ficava logo na frente dele, e fomos atendido por uma senhorinha (que provavelmente viu a cidade ser fundada haha), mas super simpática! Por ser uma região movimentada pelo turismo, todos falam inglês.

★★★★ Hotel Regina Palace, Stresa, Itália

Existem alguns passeios diferentes para se fazer por lá. Alguns duram algumas horas, mas existem opções de alguns dias, passando por várias cidades diferentes, inclusive entrando na Suíça, com quem a Itália divide um pedaço do Lago. Fizemos um passeio que dura quase o dia todo, passando pelas três principais ilhas, as Ilhas Borromeas: Isola Madre, Isola dei Pescatori e Isola Bella. O passeio é livre, são barquinho (de diferentes companhias, você usa sempre a mesma) que ficam circulando entre elas de tempos em tempos.

Começamos pela Isola Madre, a maior das três, conhecida por seus jardins. Mantido muito bem até hoje, os jardins da ilha de 220m X 330m são lindos. É preciso pagar uma taxa para entrar, mas é bem gostoso passear pela azaléias, camélias etc. O que a gente pode perceber é que é um local que gente mais velha vai visitar, então puxamos (tirando algumas pessoas que estavam com filhos) a média da idade para baixo. Depois de uma bela caminha pela manhã, seguimos para a ilha da comilança!

A Isola dei Pescatori, ou Ilha dos Pescadores, é a única das três ilhas que é habitada. Tudo bem que são 32 habitantes, mas é habitada. A ilha tem 375m X 100m, com ruas que dão a volta por toda a extensão da ilha (e em alguns pontos tem que tomar cuidado, já que o vendo jogo algumas ondas na parede e molham quem tiver passando) e MUITOS restaurantes e lojinhas. A pedida é comer peixes recém pescados no lago (que escolhi sem dúvida, mas a Bru ficou longe, detesta peixe haha). Eram três peixes diferentes, um melhor que o outro preparados de jeitos diferentes. Depois de comer e caminhar um pouco (não que tenha muito por onde andar ali), seguimos com o barquinho.

A terceira e última, a Isola Bella, é a mais diferente. Em 1632, o Conde Vitaliano Borromeo começou a construção do palácio e o jardim ornamental (terminando em 1670). As paredes das salas na parte de baixo do palácio são de conchas, o que deixa o ambiente bem diferente. Mas, sem dúvida, o jardim é o mais legal! É bem diferente e bonito, não tem como descrever se não olhar para as fotos ou visitar a ilha!

Tinhamos planejado jantar em Stresa, mas o passeio acabou por volta das 17h/18h, e a cidade não tem muito o que fazer. O tempo fechou e começou a chover (infelizmente) e decidimos adiantar o nosso trem de volta para Milão. Na verdade, não conseguimos. Nos enfiamos no primeiro trem que apareceu e nos fingimos de bobo (já que era tudo Trenitalia mesmo). O cobrador olhou estranho, explicamos e ele falou que tudo bem. Ufa! haha

DSCN1011 DSCN0979 20140924_172318 20140924_134852 _DSC0201 _DSC0193 _DSC0186 _DSC0184 _DSC0179 _DSC0178 _DSC0168 _DSC0162 _DSC0161 _DSC0158 _DSC0154 DSCN1044 DSCN1042 DSCN1041 DSCN1039 DSCN1026 DSCN1014

Abraços,
Gui Mori

Milão – Itália

Saindo de Nice fomos de trem para Milão, na Itália. É preciso pegar dois trens, um da SNCF (francesa) e outro da Trenitalia. Os trens franceses (principalmente os TGVs) são bem melhores que os italianos, mas é uma viagem relativamente rápida. O primeiro trem, de Nice para Ventimiglia (já na Itália), custou €7,50 por pessoa e demora por volta de 50 minutos. Sugiro deixar uma margem de erro entre esse trem e próximo para evitar problemas. Tivemos em torno de 40 minutos e deu tempo de tomar um sorvete na própria estação e comprar alguns salgadinhos. O segundo trem fomos de primeira classe (não esperem muito desse trem) já que estava com uma diferença muito baixa e saiu €19 por pessoa. As cabines são com 6 lugares, mas como vai bem vazio, todos que estão na primeira classe acabam conseguindo uma cabine “privativa”. Esse trem demora por volta de 4h para chegar na estação central de Milão.

O metrô de Milão liga os principais pontos turísticos, o que facilita a vida. Mas tivermos um grande azar: pegamos os últimos dias da semana de moda em Milão, o que fez com que a maior parte dos hotéis já estivessem esgotados, sobrando muitos Hostels ou hotéis mais caros. O ideal seria ficar na linha principal, que liga o Duomo com a estação central de trem, mas estando perto de uma estação você se resolve. Nosso hotel era um pouco afastado, em uma região tranquila, bem ao lado da estação Marche que precisa fazer baldeação para chegar nos outros lugares. O hotel era três estrelas e se chama Hotel Gala, tinha o preço um pouco mais elevado, mas achamos que era por causa do evento que tomava conta da cidade (e não vimos absolutamente nada enquanto estivemos por lá haha). A estrutura era velha, com aqueles elevadores bem pequenos que mal cabem as malas e era mais fácil subir os três andares de escada. O banheiro era velho e tampa da privada não ficava parada, batia nas costas ou cortava o xixi (hahahaha). Abaixo outros hotéis estilo o que ficamos e também muito bem avaliados!

Hotel Gala Hotel Gala

★★★ Hotel Gran Duca Di York, Milão, Itália

★★★ Hotel Teco, Milão, Itália

★★★ Hotel Lancaster, Milão, Itália

Aproveitamos para visitar o principal de Milão, começando pelo Duomo! Compramos a entrada antes para subir de elevador (é possível de escada também). A vista é legal, e é interessante ver os detalhes de perto, mas muita coisa estava em reforma com andaimes, o que prejudicava um pouco. A parte da frente é bem bonita, o que deixa a Praça do Duomo bem bonita. Na parte interna é preciso pagar para tirar fotos, ou você pode se fingir de bobo e tirar algumas fotos até alguém vir cobrar, aí então você para. Infelizmente durante a noite a Catedral não fica iluminada! Uma pena, já que provavelmente ficaria muito bonita. Cuidado ao andar na praça, existem muitos pombos e você pode ser premiado, principamente se ficar próximo aos postes de luz (como aconteceu comigo)!

Duomo Duomo Duomo Duomo Duomo Duomo Duomo Duomo

Logo do lado do Dumo tem a Galeria Victorio Emanuele, com lojas de grife mega caras como Gucci e Luis Vitão (hahaha). Descobrimos depois que tem um touro no chão de mármore e que para dar sorte você precisa ficar com um pé só em cima da bola dele e dar uma volta inteira (360°). Para quem não pretende comprar nada é um passeio bem rápido, já que ele é pequeno e só tem coisas bem caras.

Um parque que vale a pena é o Parque Sempione, onde fica o Castelo Sforcezco. Ele é bem arborizado e tem bastante gente, principalmente tirando um cochilo no gramado na hora do almoço/fim da tarde, e de bicicleta. Acabamos vendo um cara tentando roubar algumas pessoas distraídas que estavam descansando por lá, mas o cara não conseguiu nenhuma vez e aparentemente quase apanhou de um casal (hahaha). Dentro do próprio parque também tem a Torre Bianca, uma vista 360 da cidade! É bem legal e vale a pena. Demos sorte porque não era para abrir naquele dia, mas como estavam fazendo um serviço de manutenção da antena, conseguimos! Subimos a Bru e eu e o Dono! Ele foi bastante atencioso e simpático e mostrou alguns lugares da cidade lá de cima. Vale pesquisar os dias e horários de funcionamento (varia de acordo com a época do ano).

Castelo Sforcezco Torre Bianca Torre Bianca Torre Bianca Parque Sempione

Para quem, como eu, gosta de tecnologia e inovação, em Milão tem o Museo Nazionalle della Scienza e della Tecnologia Leonardo da Vinci. Ele é dividido em diversas áreas: ar, terra, água, comunicação, tempo, entre outros. Tem algumas coisas interativas, como código morse e o telefone de antigamente. É legal ver coisas de um passado não tão distante que já são obsoletas, como computadores, celulares, telefones e máquinas de escrever, mas que sem elas não teriamos tudo o que temos hoje.

Museo Nazionale della Scienza e della Tecnologia “Leonardo da Vinci”

Museo Nazionalle della Scienza e della Tecnologia Museo Nazionalle della Scienza e della Tecnologia Museo Nazionalle della Scienza e della Tecnologia Museo Nazionalle della Scienza e della Tecnologia Museo Nazionalle della Scienza e della Tecnologia

Aproveitamos o museu antes de ir per o Cenacolo Vinciano, eles ficam bem próximos. Para quem não conhece, a Última Ceia do Leonardo da Vinci é fantástica! A pintura tem 4,6m x 8,8m e dentro de uma sala super vedada e controlada (não pode tirar fotos), com ar condicionado bastante frio para tentar manter ao máximo. Para quem gosta, e para quem não gosta, é um lugar para se ir pelo menos uma vez na vida. Importante: TEM QUE COMPRAR ANTES! É bem concorrido e difícil de comprar. As datas costumam liberar por volta de 2 ou 3 meses antes e duram algumas poucas horas, normalmente. Vou deixar o link certinho para acompanharem!

Vivaticket: biglietti online, prevendita concerti, biglietti spettacoli

A Última Ceia

Um bom lugar para se comer é o Bairro Naviglio, o principal por lá são as ruazinhas nas margens do rio, com diversos restaurantes e bares. Fica um pouco afastado, mas é bem fácil e tranquilo de chegar por metrô. Vale a pena para quem quer ter opções para escolher de comida e bebida um do lado do outro. De sobremesa, recebemos várias indicações de uma Sorveteria chamada Grom. Existem várias espalhadas pela cidade e no mapa marcamos algumas. O sorvete é muito bom!

Bairro Naviglio Bairro Naviglio Bairro Naviglio

Abraços,
Gui Mori

Mônaco

Aproveitando que estavamos em Nice, visitamos o Principado de Mônaco, o segundo menor país do mundo (perdendo só para o Vaticano). Mas não se deixem enganar: a cidade é fantástica. Com seus moradores mais ricos que o Tio Patinhas e carrões desfilando pela cidade (boa parte Ferrari), a cidade é bem fácil de chegar! Pegamso um trem de Nice e em aproximadamente 20 minutos chegamos lá. O custo do trem, ida e volta, é por volta de €9,00 e sai, mais ou menos, a cada uma hora da estação de Nice.

Estação de Trem

Apesar de pequena e estreita, a cidade é bastante difícil e confusa, já que está em um morro bastante grande. No mapa tudo parece bastante perto, mas na maior parte das vezes é só impressão. A cidade conta com vários elevadores públicos para ajudar, ou se preferir você pode caminhar (bastante) em subidas e descidas! Para se encontrar por lá é bom estar com um mapa, ou perguntar! Tentamos marcar os elevadores no nosso mapa, mas não é tão preciso assim, e os elevadores também não são assim tão chamativos, vale prestar bastante atenção.

A hospedagem é bastante cara, então recomendamos ficar em Nice e passar meio dia/um dia em Monaco e depois voltar, sai mais barato, mesmo que queira ir mais de um dia para lá! A cidade como um todo (comida, museus e hospedagem) tem os preços bem elevados. Caso queira conhecer a cidade e fazer um tour geral (sem parar), na frente do Museu Oceanográfico tem um trenzinho chamado Azur Express que passa pelos principais pontos (sem você ter que caminhar). Algo que não nos avisaram é que podiamos descer no meio do passeio (basta avisar o motorista), mas depois não pode voltar e usar novamente. O preço para adultos é de €9,00 e para crianças €5,00.

Monaco Tours – Principality of Monaco Tourist Trains

Azur Express

O principal da cidade é o Cassino de Monte Carlo! Mas atenção: existem horários certos para se visitar destrambelhado (bermuda e camiseta), depois desse horário precisar estar em traje de gala! Se você só tem interesse em ver como é, recomendo ir nesses horários e ver como é lá dentro. São só as duas primeiras salas disponíveis para turistar, e não pode tirar foto. As apostar da mesas de blackjack e roleta são mais altas, então nem pensei em jogar absolutamente nada (já basta a cidade ser cara haha).

Cassino de Monte Carlo Cassino de Monte Carlo

Logo ao lado do Cassino temos o Cafe de Paris, um restaurante bastante caro, mas que meu pai convidou, a distância mesmo, eu e a Bru para comer alguma coisa. Tomamos uma taça de sorvete (já que o calor era absurdo) e dois refrigerantes. Pasmem, o valor da conta foi de €33! Isso mesmo, por volta de uns R$100~R$120! Mas valeu a experiência. E o lugar é bastante movimentado!

Cafe de Paris Cafe de Paris

Em um dos pontos mais altos da cidade existe o Jardim Exótico com plantas e árvores de vários lugares. Esse lugar é pouco comentado e não aparece no tour do trenzinho. A vista é bastante bonita e a paisagem vale a pena. Nos perdemos bonito para chegar lá, mas depois decobrimos que saindo da estação de trem, para a direita, tem um elevador público que leva para a avenida do jardim e fica uns 10 minutos caminhando. Como iamos passar por Paris, levamos alguns cadeados para colocar na Pont des Arts, e acabamos deixando um deles no Jardim! haha

Jardim Exótico Jardim Exótico Jardim Exótico Jardim Exótico Jardim Exótico Jardim Exótico Jardim Exótico Jardim Exótico Jardim Exótico

Um pouco mais afastado de tudo, passando pelo Cassino, mas próximo do mar, temos um calçadão da fama do Futebol, o Golden Foot. São diversos jogadores que receberam premiação, como Ronaldinho Fenômeno, Ronaldinho Gaúcho e Zico, mas não encontramos o pé do Pelé, e infelizmente encontramos do Maradona! Cada você, Pelé?!

Golden Foot Golden Foot

Por último visitamos o Museu Oceanográfico. São vários aquários e uma parte bem grande “seca”, com várias exposições e materias, algumas coisas são interativas. A exposição é bem grande, mas o preço é bastante elevado (Adultos €14; Crianças até 12 anos: €7;  Estudantes até 18 anos: €10). Os aquários são bem bonitos e tem tubarões, nemos (peixe palhaço), anêmonas e vários outros peixes.

Museu Oceanográfico Museu Oceanográfico Museu Oceanográfico Museu Oceanográfico Museu Oceanográfico Museu Oceanográfico

Abraços,
Gui Mori

Nice – França

Como eu já estava devendo, vou começar por colocar as dicas do que fizemos em nossa última viagem, começando por Nice – França.

Tivemos problema com nosso vôo da Air France por conta da greve na época, e tivemos que mudar de última hora nosso transporte de Paris para Nice para o TGV. Utilizamos o iDTGV, os trens são muito bons e são divididos em duas categorias: iDZen e iDZap. O primeiro, como o nome mostra, é voltado para quem está sozinho e/ou quer mais tranquilidade. Ideal para quem quer ler um livro, assistir um filme/ouvir música (com fone de ouvido, claro, e não muito alto) e evitar crianças correndo de um lado para o outro. Já o iDZap é para quem não se importa com barulho, que quer conversar, jogar cartas, falar no telefone etc. Os preços são os mesmos, variando apenas de acordo com a demanda. Quando compramos nossa passagem os preços da primeira e da segunda classe estavam iguais, então optamos por ir pela primeira classe já que o espaço era maior. O preço da passagem, por pessoa, foi entorno de €80~€90, mas tivemos que comprar em cima da hora, já que o vôo foi cancelado 2 dias antes da nossa viagem!

Estação de Trem TGV TGV

Por não termos carro e usarmos na maior parte do tempo trem, optamos por um hotel próximo à estação de trem. Não é das melhores regiões, mas é bastante tranquilo de se caminhar (a cidade é bem iluminada, até mesmo embaixo das pontes/tuneis). Ficamos no Hotel Parisien, que fica logo atrás da estação de trem, um hotel 2 estrelas que o único problema foi o tamanho do box do banheiro, que era BEM pequeno, mas também estava bem OK! A diária saiu por €69 no final do mês de setembro.

Hotel Parisien - Entrada Hotel Parisien - Recepção Hotel Parisien - Quarto Hotel Parisien - Quarto

O quarto da direita, com a mesa, é extamente o que nós ficamos! Ele é bastante confortável. Abaixo outros hotéis estilo o que ficamos e também muito bem avaliados!

★★ Nice Garden Hotel, Nice, França

★★ Villa Saint Hubert, Nice, França

★★ Appart’hôtel Ajoupa, Nice, França

Ao lado do nosso hotel (2 min caminhando) tinha estação de Tram/Bonde. Como a cidade de Nice é bastante plana e pequena, acabamos por fazer tudo a pé, mas poderiamos ter ganhado um tempo usando o transporte. Pela avenida principal (+ uma rua) é possível chegar em todos os principais pontos da cidade.

Tram Place Massena

Um ponto bem legal é a Feira na Cours Saleya, ela funciona todos os dias e dá para comprar frutas frescas para comer na hora, muitas flores e outras comidas (comemos uns pães gostosos e amoras por lá e valem a pena)! A região da praça tem muitos restaurantes e é possível se comer bem (se bem que o atendimento, principalmente se você chegar um pouco mais tarde que o horário padrão de almoço, não é sempre dos melhores). Na parte da noite a praça é bem movimentada e todos os restaurantes ficam bem cheios. Para visitar a feira, recomendamos que cheguem cedo, é mais tranquila e dá para tirar melhores fotos. Os horários são:

  • Mercado de Flores: 6h – 17h30 (Terças, Quintas e Sextas); 6h – 18h30 (Quartas e Sábados) e 6h – 13h30 (Domingos e feriados);
  • Mercado de Frutas e Vegetais: 6h – 13h30 (todos os dias, exceto Segundas);
  • Mercado de Antiguidades: 7h30 – 18h (Segundas, exceto feriados);
  • Entre Junho e Setenbro, existe uma feira de artesanato que vai das 18h até a meia-noite.

Cours Saleya Cours Saleya Cours Saleya Cours Saleya Cours Saleya

Do hotel para a Cours Saleya, passamos pela praça principal da cidade, a Place Massena, onde tem vários artistas de ruas mais para o final do dia, espelho d’água e várias estátuas iluminadas de noite. Lá você também encontra restaurantes, alguns lugares mais “fast-food” e a Galeries Lafayette.

Place Massena Place Massena Place Massena Place Massena

Passando as praças temos o Mar! As prais de Nice são de pedrinhas, então é bom estar de tênis/chinelo mais preso e levar uma toalha! Canga não resolve por ser muito fina (e deve estragar/rasgar). Ao longo da praia é possível caminhar pelo calçadão e chegar até o porto. A avenida que você vai caminhar é a Quai des Etats-Unis, um ponto bem gostoso admirar a paisagem. O porto não é Fort Lauderdale, mas tem bastante barquinhos e alguns bem arrumados!

No caminho pela avenida, na parte mais elevada, encontramos um bebedouro natural onde conseguimos encher a garrafa de água (uma boa, já que estava bem quente nos dias que passamos por lá). Logo ao lado existe uma escada/elevador para subir em um mirante que faz parte de um parque (que incrivelmente ninguém havia mencionado). Dentro dele existe parquinho para crianças e algumas cachoeiras, vale o passeio! A vista dele, ainda mais elevada, é muito bonita.

Porto Parque com Cachoeira Vista do Mirante Vista do Mirante Praia de Nice

Gostariamos de ter visitado a Catedral Russa, mas estava em reforma, sem informações de quando finalizaria. Não é possível nem ver a parte externa, já que está com andaime por todos os lados e coberto com uma espécie de pano. Uma pena!

Como de costume, vou deixar no final de todos os posts de viagens os maps (quando tiver) que fizemos para a viagem!

Abraços,
Gui Mori

Contagem regressiva, Dia C e Viagem…

Estamos muito próximos de comemorar a chegada do Ano 5! Por ser o dia da cura, carinhosamente apelidei de meu Dia C! Mas também, se quiserem chamar por causa do Carequinha, também serve! haha 😀

O Dia C será 1062 dias, 15 horas, 58 minutos, 38 segundos atrás, !!! Falta muuuito pooouco!!!

Aproveitando para voltar a postar, a Bru e eu acabamos de voltar de uma longa viagem de 22 dias! Passeamos pela França, Mônaco, Itália, Grécia e Turquia! Vamos postar, aos poucos, nossas dicas e experiências de cada um dos lugares! Muitas das coisas tivemos que se virar sem dicas e por isso vamos deixar algumas delas aqui! Ah, claro que com várias fotos para contar tudo! 5.424 fotos, para ser mais exato (não, não vou colocar todas hahaha)!

Abraços,
Gui Mori