Nice – França

Como eu já estava devendo, vou começar por colocar as dicas do que fizemos em nossa última viagem, começando por Nice – França.

Tivemos problema com nosso vôo da Air France por conta da greve na época, e tivemos que mudar de última hora nosso transporte de Paris para Nice para o TGV. Utilizamos o iDTGV, os trens são muito bons e são divididos em duas categorias: iDZen e iDZap. O primeiro, como o nome mostra, é voltado para quem está sozinho e/ou quer mais tranquilidade. Ideal para quem quer ler um livro, assistir um filme/ouvir música (com fone de ouvido, claro, e não muito alto) e evitar crianças correndo de um lado para o outro. Já o iDZap é para quem não se importa com barulho, que quer conversar, jogar cartas, falar no telefone etc. Os preços são os mesmos, variando apenas de acordo com a demanda. Quando compramos nossa passagem os preços da primeira e da segunda classe estavam iguais, então optamos por ir pela primeira classe já que o espaço era maior. O preço da passagem, por pessoa, foi entorno de €80~€90, mas tivemos que comprar em cima da hora, já que o vôo foi cancelado 2 dias antes da nossa viagem!

Estação de Trem TGV TGV

Por não termos carro e usarmos na maior parte do tempo trem, optamos por um hotel próximo à estação de trem. Não é das melhores regiões, mas é bastante tranquilo de se caminhar (a cidade é bem iluminada, até mesmo embaixo das pontes/tuneis). Ficamos no Hotel Parisien, que fica logo atrás da estação de trem, um hotel 2 estrelas que o único problema foi o tamanho do box do banheiro, que era BEM pequeno, mas também estava bem OK! A diária saiu por €69 no final do mês de setembro.

Hotel Parisien - Entrada Hotel Parisien - Recepção Hotel Parisien - Quarto Hotel Parisien - Quarto

O quarto da direita, com a mesa, é extamente o que nós ficamos! Ele é bastante confortável. Abaixo outros hotéis estilo o que ficamos e também muito bem avaliados!

★★ Nice Garden Hotel, Nice, França

★★ Villa Saint Hubert, Nice, França

★★ Appart’hôtel Ajoupa, Nice, França

Ao lado do nosso hotel (2 min caminhando) tinha estação de Tram/Bonde. Como a cidade de Nice é bastante plana e pequena, acabamos por fazer tudo a pé, mas poderiamos ter ganhado um tempo usando o transporte. Pela avenida principal (+ uma rua) é possível chegar em todos os principais pontos da cidade.

Tram Place Massena

Um ponto bem legal é a Feira na Cours Saleya, ela funciona todos os dias e dá para comprar frutas frescas para comer na hora, muitas flores e outras comidas (comemos uns pães gostosos e amoras por lá e valem a pena)! A região da praça tem muitos restaurantes e é possível se comer bem (se bem que o atendimento, principalmente se você chegar um pouco mais tarde que o horário padrão de almoço, não é sempre dos melhores). Na parte da noite a praça é bem movimentada e todos os restaurantes ficam bem cheios. Para visitar a feira, recomendamos que cheguem cedo, é mais tranquila e dá para tirar melhores fotos. Os horários são:

  • Mercado de Flores: 6h – 17h30 (Terças, Quintas e Sextas); 6h – 18h30 (Quartas e Sábados) e 6h – 13h30 (Domingos e feriados);
  • Mercado de Frutas e Vegetais: 6h – 13h30 (todos os dias, exceto Segundas);
  • Mercado de Antiguidades: 7h30 – 18h (Segundas, exceto feriados);
  • Entre Junho e Setenbro, existe uma feira de artesanato que vai das 18h até a meia-noite.

Cours Saleya Cours Saleya Cours Saleya Cours Saleya Cours Saleya

Do hotel para a Cours Saleya, passamos pela praça principal da cidade, a Place Massena, onde tem vários artistas de ruas mais para o final do dia, espelho d’água e várias estátuas iluminadas de noite. Lá você também encontra restaurantes, alguns lugares mais “fast-food” e a Galeries Lafayette.

Place Massena Place Massena Place Massena Place Massena

Passando as praças temos o Mar! As prais de Nice são de pedrinhas, então é bom estar de tênis/chinelo mais preso e levar uma toalha! Canga não resolve por ser muito fina (e deve estragar/rasgar). Ao longo da praia é possível caminhar pelo calçadão e chegar até o porto. A avenida que você vai caminhar é a Quai des Etats-Unis, um ponto bem gostoso admirar a paisagem. O porto não é Fort Lauderdale, mas tem bastante barquinhos e alguns bem arrumados!

No caminho pela avenida, na parte mais elevada, encontramos um bebedouro natural onde conseguimos encher a garrafa de água (uma boa, já que estava bem quente nos dias que passamos por lá). Logo ao lado existe uma escada/elevador para subir em um mirante que faz parte de um parque (que incrivelmente ninguém havia mencionado). Dentro dele existe parquinho para crianças e algumas cachoeiras, vale o passeio! A vista dele, ainda mais elevada, é muito bonita.

Porto Parque com Cachoeira Vista do Mirante Vista do Mirante Praia de Nice

Gostariamos de ter visitado a Catedral Russa, mas estava em reforma, sem informações de quando finalizaria. Não é possível nem ver a parte externa, já que está com andaime por todos os lados e coberto com uma espécie de pano. Uma pena!

Como de costume, vou deixar no final de todos os posts de viagens os maps (quando tiver) que fizemos para a viagem!

Abraços,
Gui Mori

Paris – Dia 7: Saint Germain en Laye, Pantheon, Jardim du Luxembourg e Opera de Paris

Decidimos sair de Paris de novo rumo a Saint Germain en Laye, dica da Má, a irmã da Bru. É uma cidadezinha pequena que fica mais ou menos 15 km de Paris, mas super fácil de chegar. Como tudo pela França, super bonitinho o lugar, mas que no verão deve ficar mais bonito ainda por causa das praças. Tinha um ponto lá que dava para ver a pontinha da Torre Eiffel, tinha até um “mapa” em uma “mesa” de pedra marcando os pontos, ficava mais fácil para ver (não sei se vai dar para ver na foto).

Saint Germain en Laye Saint Germain en Laye Saint Germain en Laye Saint Germain en Laye Saint Germain en Laye Saint Germain en Laye Saint Germain en Laye Saint Germain en Laye Saint Germain en Laye

 

Voltando de lá fomos para o Pantheon onde tem uma coisa sensacional: um pêndulo de Foucalut! Para quem não conhece, é um experimento que comprova a rotação da Terra, isso feito em 1851. Basicamente ele usa a rotação da Terra para deixar um pêndulo em movimento e que conforme vai rodando ele marca as horas. Fisicamente falando é bem mais complexo do que isso, mas bastante interessante, quem nunca ouviu falar vale a pena dar uma procurada (e ir ver um, existem vários por aí).

Pantheon Pantheon Pantheon Pantheon Pantheon Pantheon Pantheon Pantheon Pantheon Pantheon

Seguimos para o Jardim du Luxembourg que, mais uma vez, na primavera deve ficar MUITO bonito, mas mesmo no inverno tem seu charme. Demos uma andada por lá para conhecer um pouco, mas para o nosso azar começou a dar uma chovidinha bem de leve (leve mesmo). Então decidimos ir para o Opera de Paris fazer o tour. Começa que o prédio é bem bonito por fora, e muito mais bonito por dentro. Só as escadas e esculturas (e ouvir o guia dos outros explicando algumas coisas hahaha) já fazem valer a pena o passeio. Conseguimos ver o palco também e, quando menos a gente esperava, apareceu um cenário e algumas pessoas ensaiando para a aparesentação que teria de noite (e em poucos segundos os seguranças já vieram pedir para todo mundo sair do lugar que estava aberto para ver hahaha).

Para finalizar o dia, voltamos para a Champs Élysées passando por uma rua conhecida como “carademaisparanós” (hahaha) e comer um Waffle the Chocolate com banana (e açúcar) uhuuul! Esse dia paramos no caminho para comprar os famosos “macarrons”, parece um “hamburguinho”, mas é doce e de vários sabaroes. hmmmmm…

Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Opera de Paris Jardim du Luxembourg Jardim du Luxembourg Jardim du Luxembourg Jardim du Luxembourg Jardim du Luxembourg Jardim du Luxembourg Macarrons Waffle the Chocolate com banana rua conhecida como "carademaisparanós"

 

Abraços,
Gui Mori

Paris – Dia 6: Museu D’Orsay, Notre Dame, Conciergerie e Pompidou

Dia de ficar em Paris de novo e conhecer mais um monte de coisa bonita! Acordamos cedo com nossos sandubas (para variar) e seguimos em direção ao Museu D’Orsay. Fica a dica que mesmo chegando cedo tem bastante fila! Não lembro ao certo quanto tempo ficamos, mas levou um tempinho até entrar. Outra coisa: como mostra a foto abaixo, é proibido tirar fotos lá dentro:

D'Orsay

Não me pergunte como fizemos isso, mas nem todo lugar tem segurança olhando! Então para a felicidade da Bru, conseguimos tirar algumas fotos lá dentro.

D'Orsay D'Orsay D'Orsay D'Orsay D'Orsay D'Orsay D'Orsay D'Orsay D'Orsay D'Orsay D'Orsay

Depois de visitar o museu, partimos para nossa busca do famoso corcunda de Notre Dame. A catedral é bem bonita, também tem bastante fila, mas anda até que rapidinho e o pessoal vai andando no fluxo! Se procurarem direito, em uma das fotos da torre é possível ver uma pessoa estranha ao lado do sino que parece ser corccunda… seria ele??? ahahaha

Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame Catedral de Notre Dame

Logo ali perto está a Conciergerie e a Sainte Chapelle, algo do tipo 5-10 minutos andando. A fila da capela esta bem grande, e para ver o museu (com coisas bem diferentes) não precisavamos pegar fila por conta do Paris Museum Pass então optamos por ir lá primeiro. É bem rapidinho, mas na hora que saímos o guardinha da capela disse que a fila era grande de mais e que ninguém mais entrava depois daquele ponto por causa do horário de fechamento. Deixamos a Sainte Chapelle para outro dia (não que tivesse muito mais hahaha)!

Conciergerie Conciergerie Conciergerie Conciergerie Conciergerie

Quer dizer, esse museu era estranho até conhecermos o Pompidou! Esse sim tem coisas estranhas, começando pelo prédio completamente alternativo no meio de Paris! Todo colorido e com estrutura metálicas. Tinha que subir uma escada rolante que dava uma visão bem bacana de alguns pontos de Paris, e mais uma vez nossa sorte falou: pegamos o pôr do sol com essa vista! Dentro do museu tem obras que você pode “entrar” e chegar bem perto! Para fugir um pouco dos mesmos tipos de museu vale a pena!

Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou Pompidou

Saindo do museu, a melhor coisa do mundo fica bem na frente da saída! Independente se é frio ou calor, sorvete é a melhor coisa do mundo! Ainda mais se for Amorino. Voltamos para a Champs Élysés para jantar (um tempinho depois do sorvete) e comer uma carinha com fritas e um vinho! Não tem melhor jeito do que esse para encerrar o dia! hahahaha

Amorino Amorino L'Entrecote de Paris L'Entrecote de Paris

Abraços,
Gui Mori

Paris – Dia 5: Fontainebleau e Palais Royal

O quinto dia foi outro para visitar um palácio, mas dessa vez bem mais longe, em Fontainebleau mais para o sul de Paris. Para variar, preparamos lanchinhos para comer no caminho de café da manhã, nada melhor do que pãozinho com queijos! hahahaha

Depois de pegar o trem e um ônibus, chegamos no chateau que é bastante diferente do de Versailles, começando por estar bem mais vazio! Por um bom tempo pensamos que estava fechada, não tinha nenhuma placa e ninguém que não fosse turista. Aproveitamos para ver o exterior até descobrir que era só entrar em uma das portas para ter acesso.

Château Fontainebleau Château Fontainebleau Château Fontainebleau Château Fontainebleau Château Fontainebleau Château Fontainebleau Château Fontainebleau

Como estavamos com o Paris Museum Pass, não precisamos pegar fila e já entramos direto para ver por dentro. Bem menor que o de Versailles, mas bem diferente também, o Château de Fontainebleau é bem bonito por dentro. O jardin também é beeeem menor e mais simples, por esse lado, Versailles é mais bonito! Mas no inverno, aparentemente é tudo bem parecido hahaha

Château de Fontainebleau Château de Fontainebleau Château de Fontainebleau Château de Fontainebleau Château de Fontainebleau Château de Fontainebleau Château de Fontainebleau Château de Fontainebleau Château de Fontainebleau

Aproveitamos que estavamos lá para conhecer o INSEAD, uma das melhores escolas de negócios do mundo! hahaha

INSEAD INSEAD INSEAD

Voltamos para Paris e aproveitamos o resto da luz do dia para visitar o Palais Royal, uma praça com umas coisinhas diferentes, e um pessoal mais velho jogando botcha com bolinhas de metal na areia! hahaha Como era perto da Bastilha, aproveitamos para passar lá e comer um Croque-madame e um Croque-monsieur! O lugar foi indicado pelo meu irmão, e chama Café-philo des Phares.

Palais Royal Bastilha Bastilha Palais Royal Palais Royal Palais Royal Café-philo des Phares Croque-madame e Croque-monsieur

Claro que antes de voltar para o hotel, passamos no mercadinho e visitamos a Torre Eiffel a noite (a paixão da Bru). Nessa noite variamos um pouco, não foi vinho, e encontramos Twix de chocolate branco!!!!

Torre Eiffel Twix Chocolate Branco Smirnoff Ice Litrão Torre Eiffel Torre Eiffel

Abraços,
Gui Mori

Paris – Dia 4: magníficos portões dourados do Château de Versailles

O dia amanheceu mais frio, e aquela dificuldade de levantar da cama que já estava bem quentinha pela manhã, para tirar o pijama e vestir os pequenos, grandes, gigantes casacos do frio! Saímos rumo ao metrô para pegar o trêm para Versailles que não fica muito longe de paris, algo em torno de uns 30/40 minutos de trem…

Trem para o lado errado

isso é… se você pegar o trem para o lado certo! O primeiro erro de Paris! Existem duas estações chamadas Versailles, mas só uma é do lado certo. A dica mais fácil é: se sua plataforma estiver vazia, quase certeza que você irá para o lado errado. E não adianta perguntar para o tio que abastece as máquinas de balinhas e salgadinhos da estação, que por mais que você diga (em frânces) que você é brasileiro e não fala francês, ele não vai te ajudar e vai apontar para a tela.

Andamos um bom caminho para o lado errado, mas por sorte eu olhei o celular para ter idéia da onde estavamos e descemos na primeira estação que o trem parou, no maior frio que pegamos por lá e com muita neblina! Óbvio que até chegar o trem seguinte para o lado contrário, tiramos fotos no meio do nada.

Estação no meio do nada Estação no meio do nada Estação no meio do nada

Trocado o sentido e passando por dentro de Paris de novo, o trem começou a ficar bem mais cheio e fazer muito mais sentido o que estava acontecendo. Perdidos uns 40 minutos da manhã (entre ir e voltar do lugar errado) chegamos nos gloriosos portões dourados do Château de Versailles!

Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles

 Tinha uma fila imensa na nossa frente, mas não seria um problema se não tivesse um grupo de crianças que não paravam quietos, sem os pais para controlar, comendo sei lá o que e brigando pela comida! Enfim, maior festa do caqui na fila e quando era para andar não prestavam atenção e sempre tinha um correndo para um lado e os outros berrando! Dentro do castelo é bastante lindo, em dias de frio eu recomendo passar um bom tempinho lá dentro (porque é quente hahaahaha), porque é bem bonito: atenção! tem uma hora que começa a ficar meio repetitivo e começamos a andar mais rápido (já estavamos lá dentro fazia umas duas horas).

Apésar do frio intenso, saímos do castelo para visitar os jardins, que por ser inverno estava bem “feio”! As estatuas estavam com frio e por isso estavam cobertas, estava bem neblina e o mais legal foi vetado! Para passear pelos jardins é possível alugar um carrinho de golfe para umas 4-5 pessoas. Mas a decepção não foi por não ter mais carrinhos disponíveis, mas por ter que ter no mínimo 25 anos para alugar o carrinho (um lixo ahhahaha). Acabamos andando um pouco por lá antes de sair. Mas queremos voltar um dia na primavera para ver como fica (claro, não somos bobos). Passamos para almoçar (quase no final da tarde) em um restaurante que tinha no caminho para a estação de trem

Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles  Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles Château de Versailles

Pegamos o trem de volta para Paris, dessa vez não tinha como errar o lado, era a estação final! hahahaha Como já estava de noite, fomos andando até a Esplanade des Invalides em direção à Torre Eiffel. O lugar fica mega iluminado durante a noite e dá para tirar algumas fotos, mas pena que ainda não tinha o tripé para tirar as fotos mais legais. A melhor parte de ter feito esse percurso é que descobrimos um carrefour e fizemos as compras para preparar os lanchinhos do dia seguinte.

Esplanade des Invalides Esplanade des Invalides Esplanade des Invalides Esplanade des Invalides Esplanade des Invalides Carrefour City Esplanade des Invalides

Chegando na Torre Eiffel, percebemos que escolhemos o dia certo! Se de manhã estava com neblina, de noite estava muito pior! Não tinha como ver a torre para cima do primeiro andar, era pura neblina. Legal é o efeito que fica, de tudo bem iluminado, mas sem ver absolutamente nada. Depois de ficar um bom tempinho ali, voltamos para o hotel, compramos nosso vinho noturno e chocolatinho (hahaha) e preparamos nosso lanche do dia seguinte.

 Torre Eiffel Torre Eiffel   Torre Eiffel  Vinho e chocolate Ingredientes do lanchinhoPreparando o lanchinho

Abraços,
Gui Mori

Paris – Dia 3: Ah, o Louvre, a Sacre Coeur e Torre Montparnasse

Segunda-feira, 26 de Dezembro em Paris! Cidade com um pouco mais de movimento, mas mesmo assim não muito cheia! O dia acordou bonito, com sol, mas ainda bastante frio! Saímos do hotel de manhazinha (lembrando que o sol nascia por volta das 8h da manhã hahaha) e fomos para a primeira dica dada pelo meu irmão: comprar o passe de metrô!

Existe um passe em Paris que se chama Navigo Découverte! É um passe que vale de segunda até segunda (mas acho que tem uma opção que você escolhe de que dia até que dia ele vale, pode escolher por uma semana, por um mês ou por um ano! O importante desse passe é que ele é ILIMITADO! O metrô é meio confuso e funciona por zonas, nós escolhemos o que abrange todas as zona (1-5), já que iamos passar pela cidade inteira (zona 1), iamos para Versailles (zona 4), para o Aeroporto Charles de Gaulle (zona 4), para Saint Germain-en-Laye (zona 4) e Fontainebleau (zona 5).

Naivgo Découverte

Navigo Découverte

 É muito simples para comprar! Mas o importante é não esquecer uma foto 3×4, se não tem que dar um jeito de tirar em algum lugar! Na maquininha do metrô, você busca a opção do Navigo e paga, se não me engano, 5 Euros! Ele vai imprimir o ticket e você vai com sua foto até o guichê para ser atendido, eles montam o cartão na hora! Depois você volta para a máquina e “recarrega” o cartão! Pronto, agora você pode usar metrô, trem e ônibus ilimitadamente (só não esquece de passar todas as vezes hahaha)!

Bom, pegamos o metrô e fomos direto para o Louvre! Depois de uma bela caminhada procurando o Carrousel du Louvre, que era do lado e apontaram errado para a gente, encontramos esse bendito lugar para comprar nossa segunda dica: Paris Museum Pass. Esse passe te da direito a entrar em vários museus, igrejas etc por um período (tem de 2, 4 e 6 dias)! A princípio eu não ia comprar, já que para cidadão europeu a maioria dos passeios é de graça, mas que para isso precisava entrar na fila para pegar o Freepass. Conversamos com a moça do caixa e ela disse que como a Bru estava com o passe, “só um idiota não deixaria eu passar sem pegar fila para ela não ficar esperando”. Dito e feito, já no Louvre me fizeram pegar a fila e acabei usando meu passe! hahahahaha

Paris Museum Pass
Paris Museum Pass
Paris Museum Pass
Paris Museum Pass

 

 

 

 

 

 

Seguimos um guia bem legal que um amigo meu passou para a gente:

  1. Aphrodite, Vênus de Milo – Térreo (rez de chaussée), ala Sully, sala 7, Departamento Gregos, Etruscos e Romanos
  2. La Joconda de Leonardo da Vinci – 1º Andar, ala Denon, sala 13, Departamento Pintura
  3. Egito, A vida cotidiana das múmias – ala Sully, Departamento Egito

E mais algumas salas no caminho! O museu é GIGANTE e MUITO BONITO! Dá fácil para ficar 2 dias lá para conseguir ver tudo (e acho que mesmo assim é muito pouco)! Ficamos umas 4 horas lá e vimos mais o essencial! Dica: aproveitem que o guarda-volumes é de graça e deixem suas blusas lá, já que o museu é bem quente, principalmente nas salas principais!

Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre Louvre

Saímos do Louvre e fomos em direção a Champs Élysées e comemos um crepe bem gostoso de presunto e queijo! Seguimos caminho para a Sacre Coeur de metrô (sim, a partir daqui começamos a abusar do metrô hahaha). No caminho paramos em uma lojinha de docinhos e balinhas super famosa (tem em vários lugares da cidade) chamado La Cure Gourmande! Compramos umas balinhas super gostosas e uns biscoitos de sabores variados para experimentar!

La Cure Gourmande La Cure Gourmande La Cure Gourmande La Cure Gourmande La Cure Gourmande La Cure Gourmande

Subindo mais um pouco chegamos à Sacre Couer! Descobrimos que do lado tem um Funicular (para a felicidade da Bru, que não sabia o que era e nunca tinha visto um hahaha) e que estava incluso no nosso passe do metrô (viu, muitas vantagens! hahaha). Lá em cima vismo como ela é realmente bonita! Para ajudar mais ainda, o dia estava lindo! Um céu azul com um sol bem gostoso! Ficamos um bom tempo ali olhando, depois entramos e saímos para olhar a vista da cidade! Dá para ver praticamente tudo, ainda mais com o dia aberto! Nos arrependemos até a morte de não subir na cúpula, mas é só um pretexto para irmos de novo para lá! hahahaha

Sacre Coeur Sacre Coeur Sacre Coeur Sacre Coeur Sacre Coeur Sacre Coeur Sacre Coeur Sacre Coeur Sacre Coeur Sacre Coeur Sacre Coeur Sacre Coeur Sacre Coeur Sacre Coeur

Ali perto também tem outras duas coisas bem importantes. O Moulin Rouge (que custa uma fortuna hahaha) nós não entramos, mas vimos por fora! De noite ele fica bem bonito com tudo bem iluminado e colorido! Ali do lado também tem um café super famoso: Café des Deux Moulins, também conhecido como o café da Amélie Poulain! Óbvio que tinha que ir lá tirar foto e comer um Crème brûlée para a viagem ficar completa!

Moulin Rouge Café des Deux Moulins Café des Deux Moulins Café des Deux Moulins Café des Deux Moulins

Óbvio que no caminho de volta para o hotel passamos na Champs Élysées para ver e tirar fotos da cidade das luzes! As árvores e as pracinhas da avenida estavam todas enfeitadinhas com luzes, e as lojas também!

Champs Élysées Champs Élysées Champs Élysées Champs Élysées Champs Élysées Champs Élysées

Passamos no hotel bem rapidinho e já saímos para o passeio noturno. Bem próximo do metrô Montparnasse fica a Torre Montaparnasse, com seus 210 metros de altura e visão 360º de Paris! Pegamos um dia bom para subir, dava para ver bem a cidade toda e é possível identificar os principais pontos por causa das luzes! Tem uma vista privilegiada da Torre Eiffel e se vocë for esperto (o que fizemos sem querer hahaha) vá até Montparnasse perto de horário cheio e veja a Torre Eiffel completamente iluminada!

Torre Montaparnasse Torre Montaparnasse Torre Montaparnasse Torre Montaparnasse Torre Montaparnasse Torre Montaparnasse

Saímos de lá e seguimos para mais uma dica do meu irmão: TY BREIZ Creperie! Fica na 52, boulevard de Vaugirard (nem 5 minutos da torre)! O atendimento foi muito bom, inclusive o garçon que era bem extrovertido até trouxe um cardápio em português de Portugal para nos ajudar! Saímos de lá super satisfeitos e voltamos para o hotel, óbvio, com uma garrafa de vinho!

Creperia e a única neve Voltando para o Hotel Crepe Crepe Voltando para o Hotel Vinho no Hotel Docinhos no Hotel

Abraços,
Gui Mori